COTIDIANO

Complexo do Carandiru é tombado pela Prefeitura de São Paulo

Publicado em 11/11, às 12h40

Por Priscila Perez

Os edifícios e as estruturas remanescentes do Complexo Penitenciário do Carandiru, na zona norte da capital, foram tombados pela Prefeitura de São Paulo em 1 de novembro. Iniciada em 1911, sua construção levou nove anos para ser concluída e foi assinada por dois arquitetos famosos – Samuel das Neves e Ramos de Azevedo. Segundo historiadores, o complexo custou aos cofres públicos 14 mil contos de réis.

Foto: Governo de São Paulo.

Com a iniciativa, a administração municipal quer “assegurar a preservação da história prisional no Brasil”. O tombamento pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) não deve interferir na utilização do Parque da Juventude, que foi construído no local após a implosão de parte dos pavilhões;

A medida inclui os pavilhões remanescentes do complexo; o portal da Penitenciária; as estruturas restantes das muralhas do presídio e o edifício da prisão-albergue.

Foto: Reprodução/TV Globo.
História

No início, o Carandiru já foi considerado um prédio modelo devido à sua organização e higiene. Mas a superlotação e as frequentes rebeliões acabaram o transformado completamente. Tudo mudaria em 2 de outubro de 1992, data que ficou conhecida como “Massacre do Carandiru”. Nesse episódio, 111 detentos morreram durante a operação da Polícia Militar.

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

Video

Uniquely strategize progressive markets rather than frictionless manufactured products. Collaboratively engineer reliable.

Flickr

  • Inglorious
  • Campidoglio
  • MAXXI
  • Fasanen butterfly
  • Xiomara dedicating her book "Warten auf den Regenbogen" (teNeues, 2024)
  • Xiomara duo
  • Xiomara
  • History
  • Minotaure