ENTRETENIMENTO/ESPORTES

Titãs exploram novo formato e estreiam ópera-rock sobre assédio

Banda apresenta 'Doze Flores Amarelas' no Festival de Teatro de Curitiba e em São Paulo

Publicado às 9h55

Folha de SP

“Os Titãs voltaram a ser oito!”, brinca o guitarrista Tony Bellotto enquanto posa para a foto com o elenco do novo trabalho da banda.

Com 36 anos de estrada, o grupo agora prepara uma ópera-rock, intitulada “Doze Flores Amarelas”. Reúne no palco seus três remanescentes originais — Bellotto, Branco Mello e Sérgio Britto — mais o baterista Mario Fabre, o guitarrista Beto Lee e três cantoras.

A produção terá uma pré-estreia nos dias 3 e 4 de abril, no Festival de Teatro de Curitiba. Depois faz quatro sessões no Sesc Pinheiros, em São Paulo, a partir do dia 12.

É um projeto que surgiu há cerca de dois anos, quando a banda tentava experimentar novos formatos. “Temos o hábito de valorizar canções com um sentido mais aberto”, diz Britto. “Achamos que contar uma história por meio de canções seria um processo rico para nós como compositores.”

Trabalharam o argumento junto ao diretor e dramaturgo Hugo Possolo e ao escritor Marcelo Rubens Paiva, chegando ao tema do assédio e como ele se dissemina no mundo tecnológico.

“A tecnologia está tão presente hoje nas nossas vidas, e achamos que essa questão traria uma ligação mais contemporânea para a história”, afirma Possolo, que divide a direção de “Doze Flores Amarelas” com Otavio Juliano.

A dramaturgia foi tecida a partir das 25 músicas inéditas dos Titãs (com colaborações de Fabre e Lee), então “uma demo em voz e violão, que é bem difícil de escutar, a gente reconhece”, diz Britto.

CANÇÕES

Quase não há falas no espetáculo, exceto por alguns diálogos em off e uma narração gravada por Rita Lee. Esta por vezes é acompanhada de arranjos instrumentais assinados por Jaques Morelenbaum.

Tudo é contado por meio das músicas, como “Nada Mais Basta”, que abre o trabalho: “Atrás dessa menina/ Tem um homem atrás de outro nome/ Que diz te entender/ Atrás dessa janela/ Um pouco dela, uma mulher sincera/ Que quer te conhecer”.

“Doze Flores” acompanha três Marias (interpretadas por Corina Sabba, Cyntia Mendes e Yás Werneck) que fazem uso de um aplicativo da moda, chamado Facilitador —espécie de oráculo que diz aos jovens como devem agir.

Numa festa, acabam sofrendo estupro e decidem se vingar usando o feitiço (também sugestão do aplicativo) das 12 flores amarelas.

Cada uma das garotas toma um caminho, mas o desfecho aponta para a denúncia delas sobre o abuso. Uma forma, conta Britto, de a banda se posicionar sobre o tema.

A tecnologia também é refletida no cenário, composto basicamente de projeções, que criam diversos ambientes, dos quartos das Marias à festa em que são violentadas.

EXPERIMENTO

“Eu sinto que a gente está tateando uma nova linguagem, que mistura show, teatro e cinema”, comenta Branco. “E tem um pouco aquela ideia dos anos 1960, quando os shows de rock eram apresentados em teatro.”

O formato foi sendo experimentado numa temporada de shows que a banda fez ao longo do ano passado, chamada “Uma Noite no Teatro”.

Ali já flertavam com a encenação teatral e incluíram no repertório, além de sucessos dos Titãs, três músicas da ópera-rock: “Me Estuprem”, “A Festa” e a homônima “Doze Flores Amarelas”.

As três ainda foram tocadas no último Rock in Rio, em setembro, mas num formato próximo dos shows tradicionais dos Titãs.

ATITUDE

No teatro, a banda deixa um pouco de lado a performance roqueira. “A gente tem que ser contido. É muito difícil, porque geralmente temos outro tipo de atitude no palco”, diz Britto. “A nossa atitude aqui muda muita para a de um show, em que você fala com a plateia, joga uma palheta”, continua Bellotto.

Mas a banda já tem gravado e quer lançar futuramente um disco do trabalho (que eventualmente pode ter canções apresentadas em shows). Ainda pretende gravar um DVD durante uma das sessões.

“Algumas das óperas-rock mais famosas, como ‘Tommy’ [do The Who] e ‘The Wall’ [Pink Floyd], foram lançadas antes em disco. Nós estamos fazendo o caminho contrário, primeiro encenando”, diz Britto.

Depois de Curitiba —onde a banda fará um ensaio aberto, no primeiro dia (quando pretendem testar algumas questões técnicas, podendo parar a sessão caso necessário), e uma pré-estreia no segundo— e São Paulo, a banda deve levar “Doze Flores Amarelas” para mais outra dezena de capitais brasileiras.

 

Serviço

Titãs – Doze Flores Amarelas

Quando: 3 e 4/4, às 21h (Curitiba); 12 a 14/4, às 21h, 15/4, às 18h (São Paulo)
Onde: Guairão – Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, r. Conselheiro Laurindo, s/ nº, Curitiba, tel. (41) 3304-7914; Sesc Pinheiros, r. Paes Leme, 195, São Paulo, tel. (11) 3095-9400
Quanto: R$ 70 (Curitiba) e R$ 18 a R$ 60 (São Paulo). Classificação 14 anos

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

Video

Uniquely strategize progressive markets rather than frictionless manufactured products. Collaboratively engineer reliable.

Flickr

  • Oscars
  • Aida
  • back duo
  • trio xxi
  • decisive
  • boyau
  • Jerusalem's chimera
  • Jorg
  • Ulli