REGIONAL

Avaliação da retina é obrigatória para paciente diabético

Doença se tornou uma epidemia e está associada à perda da visão

Publicado às 10h30

G1 São Paulo

Já havia entrevistado o oftalmologista Magno Antonio Ferreira no começo do ano, quando ele falou da degeneração macular relacionada à idade, ou DMRI, a principal causa de perda de visão em pessoas acima dos 50 anos. Desta vez, o assunto acabou sendo o diabetes, que avalia como “uma verdadeira epidemia” e que, no que diz respeito a seu campo de estudo, especificamente a área da retina, é a causa mais comum de perda irreversível de visão.

O doutor Magno é professor associado da Universidade Federal de Uberlândia e presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo. Na semana passada participou, em São Paulo, do Beyond 2019, evento realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia cujo objetivo era discutir as novas tecnologias e medicamentos nessa área, com melhores resultados e menos efeitos colaterais.

O problema do diabetes é que cerca de 8% da população tem a doença e estima-se que 40% desconheçam isso. “A retinopatia diabética afeta um terço desse total e, desse grupo, um terço apresentará um quadro de edema macular, causa da cegueira”, afirma o oftalmologista. “O risco vai aumentando com o passar do tempo se não houver controle dos níveis glicêmicos”, acrescenta.

O aumento do número de casos está fortemente relacionado ao sedentarismo e a maus hábitos alimentares, como o consumo de carboidratos e alimentos ultraprocessados, com o agravante de ser uma doença pouco sintomática. “O diabetes tipo 1, que acomete pessoas mais jovens, tem um determinante genético; já o tipo 2 está atrelado ao estilo de vida”, enfatiza o médico.

 A forma de evitar a retinopatia diabética, que provoca hemorragias no olho, é o controle da glicemia, da pressão arterial e de outros fatores de risco sob supervisão médica. “Utilizamos uma regra básica para os pacientes diabéticos. Se for portador do diabetes tipo 1, torna-se obrigatório que, até cinco anos depois do diagnóstico, ele faça o exame de fundo de olho, que detectará alterações da retina. No entanto, se o caso for de tipo 2, o exame deve ser feito imediatamente, porque não é possível precisar há quanto tempo a pessoa já tem a doença e que danos podem ter sido causados”, ensina o doutor Magno.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

Video

Uniquely strategize progressive markets rather than frictionless manufactured products. Collaboratively engineer reliable.

Flickr

  • Eva
  • Fall mantra
  • Outsights
  • sneaker
  • Intempérils!
  • Oscars
  • Aida
  • back duo
  • trio xxi