REGIONAL

Moradores da zona noroeste se mobilizam pela recuperação do lago do Parque Toronto

Publicado em 25/01/2022 às 10h30

por Redação/Priscila Perez

Passar um domingo ensolarado no Parque Cidade de Toronto era sinônimo de lazer e muita pescaria para os piritubanos. Porém, as águas que um dia reuniram famílias em suas margens já não ostentam tantos peixes como antigamente. A sobrevivência deles e de outros animais está em risco, assim como a própria existência do lago – hoje tomado por plantas aquáticas que se proliferam com rapidez, ainda mais em períodos chuvosos.

Foto: Reprodução/Eliseu Gabriel

Preocupados com o futuro do parque, moradores da zona noroeste, principalmente do bairro City América, se mobilizaram para garantir que o lago não seja engolido pelo mato e desapareça em um futuro não tão distante. Em favor da sua preservação, organizaram um abaixo-assinado, que reuniu até então quase dez mil assinaturas, para cobrar da Gestão Ricardo Nunes a urgente recuperação da área verde. “O lago do Parque Toronto está no seu fim se não houver, urgentemente, uma atenção de seu patrono que é responsável por ele. Infelizmente, já foram feitos pedidos e denúncias para a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, alertando sobre a falta de manutenção e limpeza do lago, porém nada foi feito até o momento. Há muito mato, sujeira, e a água está diminuindo”, destaca a petição virtual.

No texto, a comunidade alerta sobre a atual situação das águas, que estão cobertas por mato e sujeira. O impacto ambiental dessa combinação, sem a devida interferência da Prefeitura nos últimos dois anos, “tem sido brutal e está impactando na sobrevivência dos peixes”. A carpa, por exemplo, que é conhecida por sua capacidade filtradora, já que se alimenta de plâncton e vegetação indesejada, foi a primeira a desaparecer do local por ser um peixe mais frágil, dada a poluição do lago.

Foto: Reprodução

Além disso, há a questão do assoreamento, que implica no acúmulo de terra, lixo e matéria orgânica no fundo da lagoa, um prato cheio para a proliferação de plantas aquáticas na superfície. Quanto à sujeira encrostada no lago, acredita-se que é oriunda de um córrego, que estaria despejando “resíduos que prejudicam a fauna e flora locais”, e resultado da falta de manutenção preventiva e reparadora no parque.

Ainda sobre essa questão, em vistoria recente, a Sabesp verificou que os sistemas de esgoto localizados no entorno do parque, na Avenida Cardeal Motta, em Pirituba, estão funcionando normalmente e que não há nenhum vazamento relacionado à Companhia. Contudo, é preciso descobrir de onde vem essa contaminação: se é do próprio córrego que desemboca no lago ou de alguma moradia irregular do entorno. Em entrevista à FN, o vereador Eliseu Gabriel destacou que irá mobilizar a Prefeitura de São Paulo e a Sabesp para desvendar a origem desse lixo que chega ao parque. “Isso precisa ser feito e dá para fazer. Precisamos saber com certeza de onde vem e como podemos impedir [o lixo] de chegar ao lago. Um exemplo disso, que precisa ser verificado, é a grade de contenção instalada junto ao córrego que vai até lá. Ela impediria a passagem de objetos sólidos, como garrafas pet. Precisamos averiguar se essa grade está quebrada ou não, mas provavelmente deve estar destruída.”

Foto: Reprodução

Reforço

O vereador esteve no Parque Toronto na última sexta-feira, 21 de janeiro, para verificar de perto essa grave situação. E como reforço à reivindicação popular, encaminhou na segunda-feira, 24, um ofício à Secretaria do Verde e Meio Ambiente manifestando sua intenção de dedicar uma nova emenda parlamentar (a primeira foi destinada à reforma da ponte, porém apenas metade da verba foi utilizada para esse fim; a outra parte serviu para estudos de desassoreamento) para viabilizar a elaboração de um projeto conceitual capaz de superar os desafios técnicos que a obra apresenta, como o próprio desassoreamento do lago, que não é uma tarefa simples. “É um problema complicadíssimo. Não adianta fazer o desassoreamento sem projeto, sem nada. Não é somente chegar e colocar uma draga na beira do lago. Para fazer o desassoreamento, precisamos de projeto, um estudo de como pode ser feito, até porque existem vidas silvestre ali. É um processo delicado”, reflete Eliseu. Segundo ele, os animais que frequentam o parque (e, infelizmente, já são em menor número), além da própria vegetação local, precisam ser levados em conta nessa equação. Por isso, a importância de se desenvolver um projeto adequado às necessidades do parque, que detalhe toda essa intricada logística em favor de sua preservação. Do contrário, o problema pode evoluir para um desastre ambiental.

Foto: Reprodução

SVMA responde

Após o apelo da comunidade, a FN entrou em contato com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente para saber quais ações serão realizadas no parque para evitar o desaparecimento do lago. Em nota, a pasta disse ter “solicitado propostas de desassoreamento para empresas técnicas especializadas”. Além disso, afirma que técnicos da SVMA estão elaborando um plano de ação para apresentar à comunidade, a fim de não causar impacto à fauna silvestre local. Esta questão, segundo a secretaria, necessita de uma solução viável, já que “a retirada de sedimento e das macrófitas neste momento pode implicar na remoção e destruição de ninhos e dos berçários naturais de dezenas de espécies”.

Foto: Reprodução

Confira a nota na íntegra:

“A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, informa que foi realizada a batimetria para verificar a profundidade do lago do Parque Cidade de Toronto e solicitadas propostas de desassoreamento para empresas técnicas especializadas. Foram constatadas duas grandes limitações para desassorear o lago, que podem impactar na fauna silvestre da região. A primeira é a grande quantidade de sítios de nidificação, bem como ambientes particulares onde esses animais vivem. De agosto a abril é o período de reprodução dos animais silvestres na cidade, que utilizam os parques como locais de abrigo e reprodução. E a segunda é a ampla área necessária para secagem do sedimento. A retirada de sedimento e das macrófitas neste momento pode implicar na remoção e destruição de ninhos e dos berçários naturais de dezenas de espécies.

Na semana de 20/01, após fortes chuvas e onda intensa de calor, houve proliferação excessiva de macrófitas (plantas aquáticas) que cobriram parcialmente a superfície do lago. Trata-se de um fenômeno ambiental sazonal. A SVMA possui um Grupo Técnico de especialistas que está em busca de solução viável para o caso, a fim de não causar impacto à fauna, o que incorreria em infração ambiental prevista pela lei 9605/1998. Uma documentação técnica (Termo de Referência) para a remoção superficial de macrófitas está em elaboração, com acompanhamento da Divisão da Fauna Silvestre (DFS).

Atendendo demanda da população, foram realizadas diligências no local nos dias 20 e 24/01, esta última com a presença da Subprefeitura de Pirituba. Nas ocasiões, estiveram presentes técnicos da SVMA, o diretor da Divisão de Gestão de Parques Urbanos e a comitiva de moradores do entorno e usuários do Parque Cidade de Toronto, responsáveis por um abaixo-assinado em andamento. Em 19/01 a Sabesp realizou análise da água do lago, resultado que é aguardado no relatório que será entregue pela companhia. Os técnicos da SVMA estão elaborando um plano de ação para apresentar à comunidade.”

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .

Video

Uniquely strategize progressive markets rather than frictionless manufactured products. Collaboratively engineer reliable.

Flickr

  • Sunbath
  • Run, run, run, the bullet is close to you (ou la tentative d'assassinat sur un coureur de jupons)
  • Le crêpier
  • La déesse de l'Abondance
  • Ufer
  • Bridge
  • Ballhaus
  • Training
  • Immediate ceasefire